Obama ordena fim de Guantánamo e das prisões secretas da CIA

23/01/2009

Publicado em 23/01/200

Presidente assina ordem que põe fim às medidas antiterror da era Bush; Hillary anuncia enviados de paz ao Afeganistão e Oriente Médio

Afirmando que os ideais americanos “dão força e apoio moral suficientes para combater o terrorismo”, o presidente dos EUA, Barack Obama, assinou ontem as ordens executivas que dão prazo de um ano para pôr fim ao campo de detenção em Guantánamo, em Cuba, e às prisões secretas mantidas pela CIA fora do país. As instalações serviam como espécie de entreposto usados antes de suspeitos serem enviados à Guantánamo.

Para que o cronograma seja cumprido, Obama terá seis meses para decidir sobre questões difíceis, como o que fazer com os terroristas que não podem ser julgados nos EUA.

Enviados

O dia de ontem também marcou o início do trabalho de Hillary Clinton à frente do Departamento de Estado. Ela anunciou que Obama escolheu o ex-embaixador na ONU Richard Holbrooke como enviado ao Paquistão e ao Afeganistão. O ex-senador George Mitchell será o enviado ao Oriente Médio. Os dois terão a difícil missão de negociar o fim dos conflitos nas regiões. Durante a apresentação, Obama discursou e ressaltou que os EUA estão “comprometidos com a segurança em Israel”. Ele também pediu a abertura das fronteiras com a Faixa de Gaza. l

GAFE OBRIGA americano A REFAZER JURAMENTO

O presidente dos EUA, Barack Obama, teve de prestar seu juramento pela segunda vez na noite de quarta-feira, já na Casa Branca, menos de 24 horas depois de tomar posse. O juramento foi refeito porque, na cerimônia oficial, algumas palavras estavam fora da sequência correta. A gafe foi cometida pelo presidente da Suprema Corte dos EUA, Robert Johnson, o que induziu Obama ao erro. Johnson, também novato na cerimônia, inverteu a ordem de palavras na parte do juramento que diz: “Juro solenemente desempenhar com toda a fidelidade o cargo de presidente dos EUA”. Ele falou “presidente dos EUA” antes de “toda a fidelidade”. O juramento foi refeito para evitar complicações jurídicas.

Na presença de seus assessores, Obama assina ordem executiva que muda a política de combate ao terror
ap

Falha nossa: ante o juiz Robert Johnson, Obama refaz o juramento
DIVULGAÇÃO/CASA BRANCA

(da redação)

Fonte: http://www.destakjornal.com.br/readContent.aspx?id=10,32023